Arquitetura & Construção - Setembro 2014


  • Texto: Daniela Hirsch
  • Produção: Deborah Apsan
  • Fotos: Evelyn Muller

O Cenário não poderia ser mais atraente: Trancoso, no litoral sul da Bahia. Há oito anos, o jornalista André Lattari saiu da capital paulista para gerenciar um empreendimento hoteleiro no charmoso vilarejo. Pouco tempo depois, chegou a vez de a arquiteta Daniela Oliveira trocar o interior de Minas Gerais pelo trabalho no mesmo projeto de André. A sintonia dos dois extrapolou a área profissional. Hoje, eles não apenas têm um escritório de arquitetura na região, o Vida de Vila, como também moram juntos há seis anos. “Depois de passarmos algum tempo construindo para os outros, decidimos fazer isso por nós no terreno que eu tinha num condomínio fechado” relembra ele. E o velho ditado “casa de ferreiro, espeto de pau” fez todo o sentido ao longo do processo. Levamos quase dois anos para finalizar os desenhos e começar a empreitada”, confessa André. Nesse período, o casal amadureceu as soluções, fez uma reserva financeira para bancar a construção e garimpou muito material nos confins da Bahia e de Minas Gerais. “Misturamos nossas origens. Eu contribuí com o astral das antigas fazendas mineiras, graças às peças típicas herdadas da família, enquanto André agregou ideias modernas e, principalmente, sustentáveis ao projeto”, diz Daniela. De um curso de permacultura ele trouxe a inspiração para uma parede de barro na sala de estar (repare na foto acima). As formas de madeira usadas na elaboração deste fechamento serviram, depois de estrutura para o banheiro próximo à piscina. Metade das taubilhas (telhas de madeira) veio de demolições. A vantagem, segundo André, é que a matéria-prima velha dilata e retrai menos para se adaptar ao ambiente. “Só precisamos incluir uma manta aluminizada na sobre posição das telhas de modo a impedir a entrada de água.” Quanto à marcenaria, o morador reforça que a região conta com excelente mão de obra. Outra influência local: as portas do tipo baia, usadas nos chalés de hóspedes, estão presentes na maioria das casinhas do Quadrado, centro histórico e turístico de Trancoso. “Juntando tudo isso, buscamos uma arquitetura atemporal, com mescla e a reciclagem do que fosse possível”. Resume a arquiteta e moradora.